Para Roma com Amor

O Woody Allen safra 2012
Woody Allen é um dos cineastas mais prolíficos da atualidade. A impressionante marca de um filme lançado por ano, contudo, traz consigo o ônus da irregularidade. Se para um cineasta comum, com um lançamento a cada dois ou três anos, já é difícil manter um padrão de bons filmes, com um longa a cada doze meses o risco de cair na mediocridade é muito maior.  
Longe de mim acusar os filmes de Woody Allen de ruins. Quando digo mediocridade, me refiro a uma qualidade mediana, a filmes simpáticos e divertidos, mas que não necessariamente arrebatem a platéia. É exatamente esse o caso de Para Roma com Amor. O “Woody Allen safra 2012” é leve e divertido, mas não tem o mesmo encanto de Meia Noite em Paris, o lançamento do ano passado.
Para Roma com Amor conta quatro histórias simultâneas, que variam de “muito improváveis” a “surreais” e “sobrenaturais”, mas cujo único ponto efetivamente em comum é se passarem na romântica capital italiana. Após a abertura, em que um guarda de trânsito comenta como é capaz de observar as idas e vindas dos habitantes da cidade de cima de seu pequeno pedestal, os personagens começam a serem apresentados ao público.
Quatro linhas narrativas, nenhuma correlação.
 Hayley (Alison Pill), uma americana em visita à cidade, conhece Michelangelo (Flavio Parenti), um charmoso italiano por quem se apaixona. Por ocasião de seu noivado, seus pais, Jerry (Woody Allen) e Phyllis (Judi Daves), viajam a Roma. Jerry, no melhor estilo neurótico Woody-Allenístico, descobre logo de inicio que o futuro genro, um advogado trabalhista e entusiasta da organização sindical, tem idéias totalmente opostas às suas. A maior surpresa, porém, surge do pai do rapaz, Giancarlo (Fabio Armiliato). E nesse ponto o talento de Woody Allen de fazer comédia com o absurdo entra em ação.
Woody Allen volta a atuar em um filme seu. 
Em outra história, um cidadão de classe média comum, com um emprego entediante em que é constantemente ignorado, se torna uma celebridade justamente por ser quem é. Da noite para o dia, todos querem saber o que Leopoldo (Roberto Benigni) comeu no café-da-manhã, se ele acha que vai chover e como ele faz a barba. A princípio assustado, ele logo passa a aproveitar a fama, ganhando convites para o tapete vermelho de prémières de grandes filmes, saindo com modelos e recebendo uma atenção que nunca antes recebera.  Ninguém, nem mesmo Leopoldo, sabe por quê ele é famoso, mas todos o adoram. Não se pode esquecer, contudo, que a fama que chega subitamente também se vai subitamente…
Um casal recém-casado, Milly (Alessandra Mastronardi) e Antonio (Alessandro Tiberi), chega à Roma para começar uma vida nova. Antonio tem a possibilidade de conseguir um bom emprego por meio de seus tios, senhores e senhoras de mais idade bem sucedidos na sociedade romana. Suas esperanças se vêem diminuídas quando sua esposa desaparece e a prostituta Anna (Penélope Cruz) entra por engano em sua vida.
Por último, um toque sobrenatural na história. John (Alec Baldwin), um arquiteto em visita a Roma, vai até a rua em que costumava morar em seu tempo de estudante. Lá, ele conhece Jack (Jesse Eisenberg), um empolgado estudante de arquitetura, e a conexão entre os dois é instantânea. Ao entrar na vida de Jack, John se torna uma espécie de conselheiro, sempre por perto nas mais diversas e inesperadas situações. No final, fica aquela dúvidazinha, aquele gostinho no fundo da garganta de “o que foi que aconteceu mesmo?”. Típico Woody Allen.
Penélope Cruz em cena ao lado de Alessandro Tiberi.
Bom sem chegar a excepcional. 
Para Roma com Amor no final das contas é isso: típico de Woody Allen. Apesar dos personagens divertidos, faltou um pouco de impacto para tornar o filme excepcional. Grandes atores, como Alec Baldwin e a própria Penélope Cruz, não atingem seus máximos no filme. Em um papel bastante cômico, mas sem brilho, Cruz não chega nem aos pés do excelente trabalho que realizou em Vicky Christina Barcelona. E a culpa disso é mais da construção da personagem do que de sua atuação. E o mesmo acontece a Baldwin.
Em compensação, Ellen Page no papel da avoada atriz Monica, e Roberto Benigni como o perdido Leopoldo estão fantásticos. E o próprio Woody Allen arranca várias risadas com seu já bem conhecido personagem neurótico. 
Ficha Técnica

Título: Para Roma com Amor (To Rome with Love)
Direção: Woody Allen 
Roteiro: Woody Allen
Ano: 2012
Elenco: Woody Allen, Penélope Cruz, Alec Baldwin, Jesse Eisenbrg, Ellen Page. 
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s